Pular para o conteúdo principal

Cuba: Uma viagem no tempo


Quando? A melhor época para visitar Cuba é a estação seca entre novembro e abril. As outras épocas do ano são menos adequadas porque são chuvosas. Deve-se evitar os meses entre Agosto e Outubro devido ao risco de furações.
Câmbio: Cuba possui duas moedas oficiais, o peso cubano (CUP), que é usado por quem vive no país, e o peso conversível (CUC), usado por turistas. O CUC equivale praticamente ao euro. O dólar não é muito bem aceito, já que os cubanos têm dificuldade de trocá-los devido ao embargo econômico norte-americano. Para vocês terem noção, 100 CUCs equivalem a 85 dólares. 
Obs.: Calcule bem a quantia em dinheiro que você vai precisar gastar no país, pois, Cuba não aceita cartões de crédito. 
Internet: Você precisará desapegar! Cuba não possui internet/wifi grátis, e nem internet paga em todos os lugares. Existem uns locais específicos onde você consegue acessar a internet, porém, precisará comprar uma espécie de cartão pré-pago.    
Itens obrigatórios para entrar em Cuba:
→ Visto: O visto na verdade é uma Tarjeta turística (uma taxa que precisa ser paga para entrar no país). Paguei R$ 65,00 no balcão de check in da Copa Air Lines (caso você viaje com esta cia). A outra opção de adquirir a tarjeta, é no consulado cubano em São Paulo ou Brasília. Cheguei a me informar, mas além de burocrático, é mais caro do que no aeroporto. 
Obs.: O visto tem validade de 30 dias, mas é válido apenas para uma entrada no país. Quem faz cruzeiro e entra em Cuba mais de uma vez, precisa adquirir uma nova tarjeta.
→ Vacina contra Febre Amarela: O certificado é solicitado tanto no Brasil, quanto na chegada em Cuba.
→ Seguro Saúde: Li em diversos lugares que o seguro é obrigatório, porém, não me pediram na chegada ao país. Mas é sempre bom não arriscar, né?!
Hospedagem: Na verdade, fiz um cruzeiro de 15 dias saindo de Havana passando por mais 5 países. Pesquisei bastante uma cia de cruzeiro que ficasse um tempo legal atracado em Cuba, porque era o país que eu mais queria conhecer. No total, consegui 6 dias no país. 
Quem não faz cruzeiro, o ideal é se hospedar uns 4 dias em Havana (suficiente para conhecer todo o centro histórico), e uns 5 dias em Varadero. 
Obs.: Cheguei em Havana um dia antes da saída do Cruzeiro (para evitar qualquer imprevisto com atraso ou cancelamento de voo), e voltei para o Brasil um dia depois do retorno do cruzeiro em Havana.
Para me deslocar facilmente do Porto até o hotel nesses dois dias que dormi na cidade, escolhi um hotel pela localização (10 minutos / 10 CUCs o táxi)
Calle Paseo del prado, Old Havana - Rua onde o Capitólio está localizado. 
Curiosidades/Dicas: Leve papel higiênico na sua mala. Em algum momento será útil kkk É sério! Artigos de higiene pessoal são bem escassos no país e caros para os cubanos. A maioria dos estabelecimentos não disponibilizam. 
Evite beber sucos,águas de bebedouros ou bebidas com gelo. Eu só bebia água mineral de garrafinha, ou bebidas enlatadas. 
Transporte: Sempre pergunte o preço antes de entrar nos táxis e negocie para conseguir um bom preço. Não existe taxímetro e os preços são fixos.
Do aeroporto até o centro histórico de Havana pagamos 30 CUCs. Trajetos curtos dentro do centro histórico custam em torno de 8 - 10 CUCs.
Não é aconselhável utilizar as linhas de ônibus regulares. Além de serem utilizados quase que 100% pelos cubanos, são sempre lotados e demoram para passar.

Roteiro
Como descobri a gravidez pouco antes da viagem, resolvi tirar alguns locais do roteiro para evitar desgastes e deixei apenas os principais e imperdíveis. 
1º dia - Caminhando pela Calle Paseo del Prado já era possível entrar no clima da Cidade: Avistar os carros antigos e coloridos passando a todo momento, assim como os edifícios, em sua grande maioria, mal conservados, mas que dão originalidade a cidade.

Ali, também está localizado o famoso Capitólio Nacional - Construído em 1929, inspirado no Capitólio americano, foi sede do governo cubano após a Revolução de 1959. Hoje sedia a Academia Cubana de Ciências. Está aberto a visitação e é um dos lugares mais procurados pelos turistas. 
Ao lado do Capitólio, outro ponto turístico importante - O Gran Teatro de La Habanasede do Ballet Nacional de Cuba. Fundado em 1838, é conhecido pela sua imponente arquitetura.  
Paramos para almoçar no famoso restaurante La GuaridaConfesso que só fui até lá para tirar foto na entrada kkk. Particularmente não gostei da comida, e achei os pratos caros, em média 16 CUCs, mas o lugar é muito interessante com uma mobília e arquitetura ímpar.
A noite fica mais cheio, e recomenda-se fazer uma reserva prévia pelo site.





Restaurante fotogênico, não?! 
De lá, seguimos para o hotel, fizemos o check out e seguimos para o Porto.
2º dia - Descemos do Navio bem cedinho e seguimos em caminhada para a Plaza de Armas (levamos em torno de 5 minutos). O legal de fazer cruzeiro em Havana, é que o porto fica bem perto dos pontos turístico e da para fazer quase tudo a pé. 
A Plaza de Armas é uma importante praça e é considerada o coração de Havana.

Ali na Plaza de Armas começa a Calle OBispo - uma importante rua da Cidade, que conta com restaurantes, lojas de souvenir e aquelas famosas e tradicionais farmácias cubanas.



Depois de caminhar por toda Calle OBispo, seguimos para o Museo de lá Revolución - um dos museus mais importantes para os cubanos, pois retrata a história e os acontecimentos que deram a Cuba a forma que tem hoje.
A entrada custa 8 CUCs



Ao fundo do Museu, está localizado o Memorial Granma. Granma era o nome do iate que levou Fidel Castro e mais 81 revolucionários em 2 de dezembro de 1956 para o desembarque nas praias de Cuba, a fim de levar adiante a Revolução Cubana.

Voltamos todo o percurso caminhado para chegar até outro ponto importante - Catedral de San Cristóbal de la Habana 
De lá, seguimos para o Castillo de La Real Fuerza - que fica ao lado da Plaza de Armas. Deixamos ele por último porque fica quase em frente ao Porto e de lá voltaríamos para o Navio. 
O Castillo foi declarado pela Unesco em 1982 como Patrimônio da Humanidade. Foi construído entre os anos de 1558 e 1577, originalmente para defender a cidade dos ataques piratas, e é considerado o monumento mais antigo das Américas.




Depois de tanto andar, voltamos para o navio para carregar as energias!
Almoçamos e descansamos um pouco. Nessa época do ano escurece tarde em Cuba (por volta de 19:45) sendo possível aproveitar bem o dia.
Foi o que fizemos! Bem no finalzinho da tarde pegamos um táxi em direção a Plaza de Lá Revolución - diferente das demais praças da cidade, conta com altos edifícios, ocupados por empresas e centros comerciais, e em duas das construções ao redor da praça, estão murais de fotos famosas de Che Guevara e Camilo Cienfuegos. 
Pagamos 20 CUCs no táxi - bem caro, pois estávamos pagando em torno de 10 CUCs. A explicação do taxista foi que a Plaza de Lá Revolución fica longe ali do centro de Old Havana, e de fato demoramos uns 20 minutos para chegar. 





3º dia - Resolvi descansar no Navio para recarregar as energias gastas nesses primeiros dias bem intensos de passeios/caminhadas para uma gravidinha hehe 
Descemos apenas à noite para jantar em um restaurante que eu super recomendo - o restaurante do Hotel Iberostar. Além de ter um clima super agradável, possui uma arquitetura incrível e a comida além de boa, é barata (em torno de 12 CUCs o prato).
4º dia - Finalmente conhecendo o Caribe Cubano
Havana não possui praias bonitas, e a única forma de ver o mar turquesa é saindo da cidade. Eu escolhi Varadero - balneário onde só se encontra resorts e um mar maravilhoso azul turquesa.
Eu fiz um bate e volta, mas recomendo de 3 a 5 dias para aproveitar bastante e se o propósito da viagem for descansar e relaxar (e se você não estiver em cruzeiro, como eu). 
No cruzeiro, tive a oportunidade de comprar uma excursão com transfer ida e volta, porém, estava muito caro (R$ 950 o casal) sim! isso mesmo! Achei surreal e comecei a buscar outras formas de chegar até lá.
Vi que tinha uma linha de ônibus que fazia o trajeto Havana - Varadero, mas por estar grávida, quis evitar baldeações e logo descartei essa possibilidade.
Vi que alguns táxis cobravam 100 CUCs por trajeto (ida/volta).
Daí, por sorte, encontrei na internet o contato do Motorista de Táxi Yaidel, que fez o transfer ida e volta no mesmo dia por R$ 120 CUCs.  
Combinamos com ele o horário que gostaríamos de ir, e o horário que gostaríamos de voltar. 
Contato Motorista Yaidel →  yaidelsimon@nauta.cu
Pedimos para ficar em frente ao Hotel/Resort Meliá, pois, ao lado dele, tem um centro comercial chamado Plaza Américas, que conta com lojinhas, restaurantes, mercado e acesso a praia.

Final da Plaza Américas com acesso a praia:

Por estar em uma área de resorts, chegando na praia você avistará diversas espreguiçadeiras e cadeiras, mas não se anime! É uma área reservada para os hóspedes, por isso, leve sua canga. Não precisa se preocupar muito com o sol, porque há muitos coqueiros rendendo ótimas sombrinhas. E convenhamos, com um mar desse: turquesa, sem ondas e com águas mornas, você não vai querer dele!

É isso!
Espero que tenham gostado! No próximo post, contarei em qual país foi a primeira parada do Cruzeiro assim como os locais visitados, dicas e recomendações!

Comentários