Pular para o conteúdo principal

Conhecendo a neve no Chile


A primeira vez na neve a gente nunca esquece!
Por que no Chile? O Chile é uma opção perfeita para quem nunca viu neve, pois Santiago fica bem próximo das Cordilheiras e os preços são convidativos.
Bariloche e Patagônia, na Argentina são bem mais caros. 

A viagem que começa literalmente dentro do avião! Foi uma emoção indescritível sobrevoar as Cordilheiras e ver a neve pela primeira vez.
Temporada de neve: A abertura oficial da temporada começa no final de junho e vai até a última semana de setembro, mas é sempre bom confirmar antes de fazer sua reserva, pois, podem sofrer alterações devido as mudanças climáticas.
Dica: evite ir no início e no final da temporada. Apesar dos preços serem mais baixos, você pode não pegar a montanha bem branquinha.
Duração da viagem: É recomendado de 5 a 7 dias para conhecer todos os pontos turísticos com tranquilidade.
Hospedagem:  Se você quiser aproveitar a neve por mais tempo, aconselho hospedagem na montanha. Agora, se você quiser passar apenas um, ou no máximo dois dias na neve, se hospede em Santiago. Eu fiquei hospedada bem próximo ao Cerro Santa Lucía (Referência: Calle Augustina). Achei a localização ótima, pois pude conhecer os principais pontos turísticos da cidade a pé! Darei detalhes mais abaixo no tópico roteiro!

Dica: Procure fechar os passeios com agências Chilenas. Você pode achar que está fazendo um ótimo negócio fechando com agências brasileiras, mas estas costumam ser bem mais caras. Eu fiz duas cotações e me surpreendi com a diferença de valores.   
Não fala espanhol? Não se preocupe! Nosso português é super entendido, e os guias costumam falar devagar.
Câmbio: Não leve dólar e não compre pesos chilenos no Brasil. 
Compre no aeroporto chileno somente o necessário em caso de urgências!
A casa de câmbio localizada no Shopping Sky Costanera fica aberta diariamente, inclusive domingo até às 21h, também é indicada em casos emergenciais. 
Você encontrará a melhor cotação no Centro de Santiago, na Calle Agustinas, entre as ruas Paseo Ahumada e Calle Banderas (paralelas a rua Agustinas).
Se você estiver hospedado em Providencia, troque na Cambios Santiago localizada na Pedro de Valdivia, 29.
Alimentação: A alimentação no Chile não é das mais baratas. Uma refeição completa por pessoa fica na faixa de R$ 100. 
É necessário fazer reserva nos restaurantes mais conhecidos.
Se quiser economizar, recomendo almoçar/jantar no Shopping, que possui variados restaurantes populares.
Observação: Os museus não abrem às segundas-feiras. Por isso, tenha atenção ao montar seu roteiro.
Parceiro: Mais uma vez estive conectada com o meu chip da Easysim4u, que tem cobertura 4G em mais de 140 países. Conectado, além de compartilhar fotos e vídeos nas redes sociais, você pode usar o Google maps para se locomover com tranquilidade, e até mesmo dispensar guias em determinados passeios.

Roteiro
Primeiro dia:
Nosso primeiro dia foi dedicado ao Centro de Santiago.
Começamos pelo Cerro Santa Lucia, que conta com um belo mirante com vista para as Cordilheiras. Para chegar até lá, você enfrentará algumas ladeiras e degraus, mas acredite! A vista compensa todo o esforço.
O cerro, que significa morro, foi usado como fortaleza durante um longo período de guerras entre as forças leais ao rei da Espanha e os patriotas que procuravam a independência da coroa.
Funcionamento: Todos os dias das 9h às 19h. 
Entrada gratuita.




Uma outra opção de mirante é o Cerro San Cristóbal, não consegui visitar devido a um imprevisto. Não deixe de incluir no seu roteiro!

Saindo de lá, descemos a Calle Augustina, uma rua bem movimentada cheia de lojas e casas de câmbio. Compramos pesos chilenos, luvas (5.000 pesos), lenços (2.000 pesos) e toucas (4.000 pesos) nas barraquinhas e seguimos em direção ao Palacio de la Moneda. Declarado monumento nacional, é um dos principais símbolos da capital chilena, e atualmente é sede da presidência.
As visitas acontecem de segunda à sexta em 4 tours diários com duração e 1h.
Troca da guarda: Acontece tradicionalmente a cada 2 dias. Como assisti a troca da guarda em Londres, não quis assistir em Santiago. Apesar de legal, costuma ser bem cansativo. 
Em pouco menos de 15 minutos de caminhada chegamos a Plaza de Armas.
Principal praça de Santiago considerada o coração da cidade, surgiu em 12 de fevereiro de 1541 junto com a cidade e é considerada seu marco zero. 
As construções modernas dão um belo contraste as construções antigas.


Seguimos em direção ao Mercado Central.
Eu amo visitar esses mercados para ver de pertinho a cultura e provar da culinária do local.
→ Super indicado para almoçar e comprar souvenir.


Depois do almoço, seguimos de uber para o Sky Costanera, o prédio mais alto da América do Sul com 300 metros de altura. O mirante fica nos 61º e 62º andares com uma vista em 360º da cidade.
Dica: Suba até 17h para conseguir ver o pôr do sol.
Funcionamento: 10h às 22h (último elevador às 21h)
Preço: Adultos pagam 10.000 pesos e estudantes/crianças 7.000 pesos
Quarta-feira: Adultos pagam 7.500 pesos e estudantes/crianças 5.000 pesos
Após a visita no Sky Costanera, fomos conhecer o Mall, que conta com lojas como Adidas e Zara. Achei os preços super em conta! É só garimpar!
Após gastar alguns pesos chilenos, fomos jantar (lanchar) no The Crepe Café.  
Segundo dia:
Conhecer a tão sonhada neve!
Como fizemos apenas um bate e volta, optamos pelo passeio "Valle Nevado + Farellones" para que fosse possível conhecer as duas estações.

Valle Nevado
Localizado na Cordilheira dos Andes a mais de 3.000 metros de altura, 
é considerado o maior centro de ski da América do Sul seguindo os padrões das grandes estações europeias. São 39 pistas de esqui e snowboard totalizando 40 km de extensão, sendo apenas 10% desta área destinada para iniciantes. 
Atenção! É recomendado contratar o serviço de agências de turismo para subir a Cordilheira. Motoristas capacitados e veículos devidamente equipados darão mais segurança na subida, que conta com 60 curvas e fica aproximadamente 1h30m de Santiago. Confesso que fiquei com medo, pois pelo caminho é possível avistar alguns carros atolado e caídos. Sim! Infelizmente acontecem muitos acidentes por lá. 
Muitas pessoas relatam mal estar devido a altitude como tontura, cansaço e enjoo. Eu não senti nada, graças a Deus, e até cochilei em alguns momentos.
Ficamos aproximadamente 1h no Valle Nevado. Suficiente para fazer valer a viagem: NEVOU! Foi uma das melhores sensações da vida! Emocionante ver aqueles floquinhos branquinhos caindo do céu.


Farellones Farellones fica na curva 40 e é um verdadeiro parque de diversões na neve! Além de esquiar você pode fazer tirolesa, esquibunda, fat bike, tubing, e andar de teleférico. 
Esquiar não é fácil! Ficamos horas tentando e não saímos da primeira pista hahaha Isso também nos fez perder muito tempo e não conseguimos fazer todas as atividades do parque.   


Valores e informações úteis:
Transporte: 20.000 pesos
Aluguel de roupa (sapato, calça e óculos): 17.000 pesos
O guia parou em uma casa de aluguel para alugarmos as peças antes da subida.
Lá em cima é tudo mais caro.
Farellores: 35.000 pesos (entrada do parque com acesso as pistas esqui)
Aluguel de Equipamento: 15.000 pesos
Locker (armário): 4.500 pesos
Esquiar no Valle Nevado é bem mais caro do que em Farellones. 

De volta a Santiago, fomos jantar no Patio Bellavista
Além de restaurantes, você encontrará diversas lojinhas de souvenir.
Funcionamento: 10h às 02h sendo até às 03h na quarta-feira e até 04h no final de semana.
Localização: Constitución 30 - 70


Terceiro dia
Vinã Del Mar + Valparaíso
Valor do passeio: 25.000 pesos 
Duração: 9h às 17h
Localização: 1h30m de Santiago. 

Existem três maneiras de chegar em Valparaíso:
1 - Pegando um ônibus de linha, como o das empresas Pullman e Turbus, que partem do terminal rodoviário.
2 - Alugando um carro.
3 - Contratando o passeio com agências de turismo, que costuma incluir Vinã del Mar no roteiro.

Dica: Pergunte o roteiro ao guia/empresa de turismo antes de fechar o passeio. Não tive uma experiência muito boa com o meu guia, e se fosse fazer tudo de novo, teria fechado o passeio com um guia particular passando pelos locais desejados por mim. Peguei um guia grosso, que só passou por alguns pontos porque eu falei, tornando o passeio um pouco desgastante.
Cogitei voltar de uber para Santiago, mas ficava muito caro, e via transporte público demorava muito.

Vamos ao roteiro:
Ainda na estrada, pouco antes de chegar em Valparaíso, paramos no Rio Tinto - um bom e barato mercado de vinhos. 
Na entrada há vinhos e petiscos para degustação.


A primeira parada em Valparaíso foi a Plaza Sotomayor, a maior praça da cidade, que possui várias construções históricas. O destaque da praça é o Monumento a los Héroes de Iquique, em homenagem aos mártires que participaram do combate Naval.

Em frente a praça está localizado o porto de Valparaíso:


Uma característica bem marcante de Valparaíso é a sua geografia repleta de morros na beira do mar, e para ajudar a população a subir os 42 morros e colinas, existem 15 elevadores espalhados pela cidade. 
Em menos de 10 minutos chegamos ao Cerro Alegre, o guia não ia passar por lá, e com isso não pude explorar a região como gostaria. O cerro é um mix de favela com Beco do Batman, localizado em São Paulo. 
Apesar de ter lido para ter cuidado, não vi nada que me deixasse insegura.


Bem pertinho do Cerro Alegre, visitamos o Paseo 21 de Mayo, principal mirante da cidade, que conta com uma vista panorâmica do porto. Nessa região você também encontrará muitas lojinhas.


Seguimos para Vinã del Mar, e a primeira parada foi o famoso Relógio de Flores
De lá, mortos de fome seguimos para o Castillo del Mar, um restaurante maravilhoso a beira-mar - um dos melhores que já fui até o momento.


Em frente ao restaurante está localizado o Castillo Wulff, outro símbolo de Vinã del Mar, que não pode deixar de ser visitado. A construção em estilo medieval recebe hoje diversas atividades culturais. 
Funcionamento: terça à domingo das 10h às 13h30m e das 15h às 17h30m.
Localização: Av. La Marina, 36

De lá, fomos dar uma volta na praia...
De lá passamos pelo Museo de la Sebastiana, local onde o poeta Pablo Naruda morou.
Localizção: Rua Ricardo di Ferrari, 692.
Funcionamento: terça à domingo 
Preço: 3.000 pesos.

Seguimos então para o Museo Fonck, que tem em sua porta um MOAI original da Ilha de Páscoa. O museu conta com diversas peças arqueológicas relacionadas a ilha, que fica a 3,5 mil quilômetros da costa chilena 
Localização: Cuatro Norte, 784
Funcionamento: de segunda à sexta de 10h às 18h - sábado e domingo das 10h às 14h.
Nossa última parada antes de voltar para Santiago foi um mirante com uma vista incrível!

De volta a Santiago, fomos jantar no super recomendado Giratório Restaurant
Gente! O restaurante é gira mesmo e chega até dar um certo nervoso. A volta é bem lenta, mas para evitar me sentir mal, evitei ficar olhando muito para os lados. rs
A comida é deliciosa e o atendimento de primeira!
Localização: Nueva Providencia 2250, piso 16  
Reservas: +562 2232 1827 
Atenção! Não precisa se desesperar caso você não consiga fazer a reserva com devida antecedência. Eu não consegui, mas liguei para lá antes de ir e fui informada que clientes sem reversa poderiam colocar o nome em uma lista de espera, que demorava em torno de 1h. Arriscamos e conseguimos!




Quarto dia:
Se você gosta de vinho, indicamos um passeio pela vinícola Concha y Toro.
O tour custa em torno de 28.000 pesos. 
Para jantar, indico o Bali-Hai , um restaurante temático polinésio na América do Sul. O cardápio conta com receitas exóticas e apresentações de dança e música ao vivo. 
O que está incluso no valor de 50.000 pesos cobrados por pessoa?
Transporte até o restaurante, prato de entrada, prato principal, 1/2 garrafa de vinho ou refrigerante/suco/água, sobremesa e café. 

Quinto dia: 
Se você tiver tempo, conheça o Cajón del Maipo - Embalse el Yeso. Infelizmente não consegui, mas certamente visitarei quando voltar no Chile para conhecer o Atacama. Está localizado a 100 km de Santiago e o passeio costuma durar o dia inteiro.Imagine encontrar uma lagoa azul turquesa no meio das cordilheiras ? Que cenário! Vale a pena!

É isso galera!
Até a próxima trip! 

Comentários

  1. Adorei suas dicas.Só faltou Embalse el Yeso.Fico apaixonada nas fotos de lá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou! Verdade... não tive tempo de conhecer o Embalse, mas com certeza voltarei no Chile para conhecer!

      Excluir

Postar um comentário