Pular para o conteúdo principal

Visitando Brasília e Goiás em um final de semana


Brasília
Quando? Como Brasília tem duas estações bem definidas: seca e chuva, é muito importante levar o clima em consideração na hora de escolher a data da visita.
→ Estação seca: maio - setembro
+ secas: junho - agosto
→ Estação chuvosa: outubro - abril
+ chuvas: novembro - janeiro 
Dica: Beba bastante água, passe protetor solar no corpo e principalmente na boca. Eu senti muito esse clima seco e precisei passar Bepantol na boca por uns 3 dias após a viagem.
Brasília não costuma ser um destino muito procurado pelos turistas. Agora, se você é amante a arquitetura vai ter muito o que fazer por lá.
Se você estiver só de passagem indo para Goiás, por exemplo, reserve pelo menos um dia na cidade para conhecer a Capital Federal do nosso país.
Eu recomendo um final de semana, pois em um dia não consegui conhecer tudo.
Vamos ao roteiro:
Peguei o primeiro voo para BSB saindo do Rio de Janeiro para aproveitar o dia. Saindo do aeroporto, peguei o carro na locadora e segui para o primeiro ponto turístico: A Igrejinha da 307/308 ou Igreja Nossa Senhora de Fátima, que foi o primeiro templo em alvenaria a ser erguido na cidade. 
Foi construída em cem dias para pagar uma promessa da primeira-dama Sarah Kubitschek, para curar sua filha.
A capela foi projetada por Oscar Niemeyer e sua impecável arquitetura faz referência a um chapéu de freiras. Os azulejos de Athos Bulcão em seu interior e fachada dão um charme a mais ao local.

Segui em direção ao Santuário Dom Bosco, localizado na Quadra 702 Sul, em posição central no Plano-Piloto. Foi criado por Lúcio Costa, projetor de Brasília. Os tons de azul com branco que formam os 2,2 mil m² dos vitrais colorem todo o ambiente interno. Impossível não se emocionar!
A visitação é gratuita.
Próxima parada? Brasília Shopping para almoçar no restaurante COCO BAMBU, que eu não consegui conhecer em São Paulo. Super recomendo e aguardo sua chegada no Rio de Janeiro!
Depois um almoço espetacular, seguimos para o Conjunto Cultural da República: Museu e Biblioteca Nacional.
Obra de Oscar Niemeyer, o Museu Nacional em seu formato oval, que chega a lembrar uma nave espacial, é usado para exposições e espetáculos.
Funcionamento: terça a domingo das 9h às 18h.
Ao lado do museu está localizada a Biblioteca Nacional, que dispõe biblioteca digital e salas para estudos.
Funcionamento: segunda a sexta das 8h às 19:45/ sábado e domingo das 12h30 às 18h30. 
Dica: Estacione ao lado da biblioteca.
Em 5 minutos de caminhada você chegará em um dos mais belos cartões postais da cidade: A Catedral de Brasília

De lá, seguimos para o Congresso Nacional, que é lindo e deve ser visitado apesar de toda essa crise política que nosso país está passando.
São duas torres de 28 andares com uma cúpula côncava (Senado) e outra convexa (Câmara). Nesta região é comum observar diversas manifestações e protestos. 
Funcionamento para visitação: 9h30 às 17h todos os dias.
Obs.: De segunda à sexta é proibida a entrada de shorts e chinelos.
Não deixe de passar na Praça dos Três Poderes, Memorial JK, Palácio do Planalto e Pontal do Lago Sul, um passeio incrível as margens do Lago Paranoá. A entrega é gratuita e o local conta com restaurantes e decks. 
Como tive um contra tempo, não consegui conhecer todos os lugares que estavam no roteiro.
Segui então para a Torre de TV de Brasília, que está localizada em frente a Esplanada dos Ministérios. Com 230 metros de altura possui uma vista incrível da Cidade e o horário mais cobiçado para visita é 17h, para assistir o espetacular pôr do sol. A Torre funciona de terça a domingo, as 9h às 20h e a entrada é gratuita. 

Caso você tenha tempo, uma outra opção de observatório é a Torre de TV Digital e também conta com uma vista linda.
Goiás
Saí de Brasília no final do dia e segui para Formosa-GOÉ bem fácil de chegar e a estrada é ótima. Cheguei em aproximadamente 1h. Parei para jantar no restaurante Mediterranium: Clima agradável e comida deliciosa.
No dia dia seguinte bem cedinho fui conhecer o Poço Azul, situado em uma área particular no Distrito de Bezerra, que faz parte do Município de Formosa/GO.
ATENÇÃO! Atualmente, devido a má conservação dos visitantes, o local foi interditado e o acesso está proibido.


Na parte da tarde, fui conhecer o Salto do Itiquira, maior queda d'água acessível do Brasil com 168 metros de altura. Esse belíssimo cartão postal de Formosa está situado no Parque Municipal do Itiquira, que conta com uma ótima estrutura para receber os visitantes.
Funcionamento: Todos os dias das 9h às 17h (entrada até as 16h).
Custo: R$ 10,00 para visitantes e R$ 3,00 para morador.
Localização: 36 km de Formosa.



Comentários

  1. Na sua viagem para Brasilia, vc dormiu em formosa no goiás ou só passou o dia?
    É que vou pra Brasilia e tava pensando em passar um dia em Formosa
    Tipo indo de manhã e voltando a tarde da pra aproveitar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Cheguei em Brasília sábado de manhã CEDO, peguei o carro na locadora, conhecei os principais pontos turísticos, e a noite peguei a estrada para Formosa-GO. Dormi na casa de uma colega e assim que acordei, fui conhecer o Poço Azul (aberto na época), e na parte da tarde conheci o Itiquira.
      Vai conseguir aproveitar sim. Vale a visita!

      Excluir
  2. Olá,

    Sou morador de Formosa-GO, já fiz algumas trilhas e vez ou outra também me aventuro por aqui, infelizmente tem havido muita depredação dessas maravilhas naturais daqui. Sugiro, a quem não conhece a cidade, a visitar o EcoBocaína - reserva particular e muito bem sinalizada com atendimento especializado; próximo dali, para quem gosta de paisagem, ainda há a rampa de vôo livre que dá uma visão majestosa do Vale do Paranã (acesso gratuito com campeonatos mundiais e nacionais abertos no mês de agosto/setembro). O Salto do Itiquira é OBRIGAÇÃO de qualquer visitante, tem até um restaurante a caminho chamado "Dom Fernando" com comida caseira de alto nível, ambiente e atendimento ótimos que valem a pena conferir (um almoço individual custa em torno de 50-60 reais).

    Próximo da região do Lago Azul, andando mais um pouco pela BR 020 é possível acessar o Sítio Arqueológico do Bisnau (indicado pra quem realmente gosta de arqueologia ou curiosos, porque lá não tem nada além disso), o acesso é aberto a todos. Também tem a Cachoeira do Bisnau na região, mas não acessei a parte de baixo dela, quem foi diz que vale a pena a trilha de quase uma hora pra lá (indicado ir na parte de baixocom quem conhece a região).

    Também tem o Buraco das Araras, na região próxima ao Distrito do Bezerra, mas se não for pra fazer a descida é melhor nem ir. Lá dentro há gruta e uma vegetação e clima únicos, por isto que não compensa ir para ficar na parte de cima e para descer custa um valor razoável com equipe especializada que deve ser consultada e agendada com antecedência. Próximo dali tem um Hotel Fazenda que também oferece pacote para passar o dia e almoçar fora da diária.

    Na parte central da cidade foi inaugurado um Mini Shopping com Food Truck's no Lago do Vôvô (qualquer formosense conhece o local, basta perguntar). A área é indicada para visitação aos finais de semana e tem cardápio para todos os gostos e bolsos. Lugares mais em conta, com ótimo atendimento são: "Comida de Boteco", "Boteco do Juca", "Vandus, Rei do Kibe", "Bar do Valdemar" e o "Palladini" (lugares que você gastará, em casal, entre 70 e 140 reais dependendo do consumo de bebidas). Alguns pontos mais sofisticados e um pouco mais caros são o Hollywood, OBar!, Mediterranium (lugares que você gastará, em casal, a partir de 120 reais dependendo do consumo de bebidas e comida). A noite formosense não tem muitas atrações, mas tem vários barzinhos e points para um bom papo, vale a pena. Todos os pontos mencionados acima possuem perfil de Facebook e Instagram.

    Espero ter contribuído um pouco com a matéria e com sugestões de quem convive com essa cidade. Caso alguém precise de mais informações, poste e-mail que entro em contato para auxiliar.

    ResponderExcluir

Postar um comentário